3º SEDRES

postado em: Uncategorized | 0

O Seminário de Desenvolvimento Regional Estado e Sociedade [SEDRES] constitui um evento bianual itinerante, articulado e organizado por programas de pós-graduação vinculados à Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional [ANPUR]. A primeira edição do SEDRES teve lugar em agosto de 2012 no Rio de Janeiro (RJ). A segunda ocorreu em agosto de 2014 em Campina Grande (PB).

O principal objetivo do SEDRES é estabelecer um canal de interlocução entre os pesquisadores brasileiros (e estrangeiros) em torno à temática do desenvolvimento regional. O SEDRES não ganhou vida para concorrer com outras iniciativas semelhantes, já existentes e exitosas. O propósito é de, desde o âmbito da ANPUR, reunir energias para gerar um espaço de debates e reflexões críticos sobre as diversidades e as desigualdades regionais no Brasil (e na América Latina e no mundo) e, a partir daí, também, de formulação de alternativas de políticas de intervenção no território.

Nesta terceira edição, que deverá ter lugar entre 14 e 16 de setembro em Blumenau (SC), o SEDRES dará continuidade ao que já constitui um traço próprio, característico: tratar-se-á, como nas duas edições anteriores, de um Seminário de Desenvolvimento Regional Estado e Sociedade. O que é peculiar à terceira edição é a problemática que se elegeu para sintetizar a preocupação do evento com o espaço e o tempo, com a sua geografia (consideradas as suas diversas escalas) e com a sua história (considerados os seus distintos níveis). A problemática está expressa no título “A questão regional, uma questão (de) política”.

Nada mais é óbvio nos tempos que correm, nem, certamente, o significado do título desta terceira edição do SDERES. Mas, os seus organizadores, em consonância com o aprendizado das duas edições anteriores, facultado pela presença de seus organizadores nas comissões de trabalho que vão viabilizar o evento previsto para setembro de 2016, tomam o “regional” desde a perspectiva das relações de poder presentes na sociedade. O “regional” é uma construção social, material e simbólica – e, evidentemente, uma reconstrução cotidiana. Que “regional” é este com que lidamos? Não é apenas matéria acadêmica, é objeto da política – e de políticas.

Em continuidade às primeiras edições, do Rio de Janeiro e de Campina Grande, o 3° SEDRES se compromete a acolher trabalhos empíricos e estudos teórico-metodológicos, de docentes e investigadores, de estudantes de pós-graduação e graduação, brasileiros, latino-americanos, cidadãos do mundo, sobre desenvolvimento regional, em suas mais variadas dimensões (ver os eixos temáticos sobre os quais será erigido o 3° SEDRES).

Participe!

Para mais informações clic aqui.

Deixe uma resposta