Universidade Aberta – Povos Indígenas e Políticas Afirmativas: desafios e possibilidades no Ensino Superior

postado em: Uncategorized | 0
O Universidade Aberta sobre Povos Indígenas e Políticas Afirmativas no Ensino Superior pretende, a partir de experiências em diferentes âmbitos e instituições, debater desafios e possibilidades na/para a construção de tempos, espaços e lugares aos Povos Indígenas relativos a sua presença, participação e reconhecimento no Ensino Superior, por vias que respeitem e integrem seus saberes e especificidades sociais e culturais.
Com o reconhecimento da diversidade étnico-cultural na Constituição Federal de 1988 e através de intensas reivindicações dos movimentos sociais indígenas, foi assegurado aos Povos Indígenas o direito originário sobre suas terras tradicionalmente ocupadas, cultura, tradições, saberes, línguas maternas e processos de aprendizagem próprios. Este reconhecimento vem consolidando importantes avanços na legislação e na política governamental em relação aos Povos Indígenas no Brasil, principalmente nas políticas educacionais.
Atualmente, em nosso país, é possível identificar políticas e programas de ações afirmativas no Ensino Superior, em distintos âmbitos e modelos, que demonstram a riqueza de experiências e os desafios para/na construção de propostas que atendam as especificidades sociais e culturais dos Povos Indígenas em suas diferentes realidades.
No entanto, a abertura de caminhos se insere em contextos históricos de processos desenvolvidos na lógica da integração e assimilação cultural, que subalternizaram e negaram o modo de ser, saber e viver dos Povos Indígenas, palco para históricas realidades de exclusão, invisibilidades, mazelas políticas e sociais.
No contexto regional, o Vale do Itajaí, o Povo Indígena Laklãnõ/Xokleng, detentor de uma história e cultura milenar (6 mil anos), originariamente ocupava extensões territoriais no Sul do Brasil. Atualmente aldeados na Terra Indígena (TI) Laklãnõ-Xokleng, após cerceamentos territoriais – Posto de Atração Indígena (1912); Terra Indígena Ibirama Lã Klãnõ (1926); Barragem Norte (1976- 1992) se constitui em um organismo vivo, último grupo remanescente desta etnia no planeta, que busca defender e preservar o seu território, história, cultura e projetos de vida.
Em face disso, comprometidos com uma dívida histórica de caráter regional e nacional, a Mesa Redonda sobre Povos Indígenas e Políticas Afirmativas no Ensino Superior pretende, a partir de experiências em diferentes âmbitos e instituições, debater desafios e possibilidades na/para a   construção de tempos, espaços e lugares aos Povos Indígenas relativos a sua presença, participação e reconhecimento no Ensino Superior, por vias que respeitem e integrem seus saberes e especificidades sociais e culturais.
Ministrantes: Clóvis Antonio Brighenti, Leonel Piovesana, Francis Solange Vieira Tourinho, Sandro Luckmann e Liderança Indígena Laklãnõ Xokleng. Georgia Carneiro da Fontoura (Mediadora)
Sobre os Convidados:
Prof. Dr. Leonel Piovesana: possui graduação em História e Estudos Sociais pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Palmas (1984), especialização em História e Geografia pela UFSC, mestrado em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2000) Dissertação: Educação e Cultura na Terra Indígena Xapecó e Doutorado em Desenvolvimento Regional com a Tese intitulada: Território Kaingang na Mesorregião Grande Fronteira do Mercosul – Territorialidades em confronto (UNISC, 2010). Atualmente é professor titular da Universidade Comunitária da região de Chapecó do Programas de Mestrado em Educação da Unochapecó, autor dos projetos e coordenador desde 2009 até janeiro de 2014 dos cursos de Licenciaturas Intercultural Indígena. Membro da Proposta Curricular do Estado de SC 1991 e 1998/2005 e consultor para atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina de 2014 sobre a educação indígena. Coordenador da Licenciatura em Ciências da Religião. Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Educação da Unochapecó. Foi coordenador do Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso – FONAPER – Gestão Biênio 2014 a 2016.
Prof. Dr. Clóvis Antonio Brighenti: possui graduação em História – licenciatura plena – UNOESC – Campus Chapecó (1995). Mestrado em Integração da América Latina pela Universidade de São Paulo – USP (2001). Doutorado em História Cultural pelo Programa de Pós-Graduação em História na Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC (2012). Pós-graduado em comunicação social, pela Universidade São Francisco – SP (1996). Pós-graduado em ecumenismo e Diálogo Inter-religioso, pelo Instituto Teológico de Santa Catarina (2009). Professor de história das sociedades indígenas e da América Latina na Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA. Coordenador do Curso de História – América Latina (Unila). É colaborador do Conselho Indigenista Missionário do qual foi membro entre 1988 a 2014; assessora e desenvolve pesquisas junto às comunidades indígenas Guarani no litoral do estado de Santa Catarina, Xokleng no Alto Vale do Itajaí e Planalto Norte de SC e Kaingang no oeste Catarinense. É assessor do Conselho Continental da Nação Guarani – CCNAGUA (Argentina. Bolívia, Brasil e Paraguai). Autor do Livro Estrangeiros na Própria Terra: Presença Guarani e Estados Nacional. Ed. ARGOS/EdUFS. Membro do Núcleo Docente Estruturante, Professor do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, no qual atuou como coordenador pedagógico por dois anos; Conselheiro da Comissão Nacional de Educação Escolar Indígena do MEC.
Profª Drª Francis Solange Vieira Tourinho: possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina. É mestre em Farmacologia e Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Estadual de Campinas. Possui Título de Especialista em Enfermagem Pediátrica pela SOBEPE. Atualmente é Secretária de Ações Afirmativas e Diversidades, SAAD/UFSC, Professora do Departamento de Enfermagem e Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC. Também é Pesquisadora em Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora – DT-2/CNPq e Editora Associada – Revista Texto & Contexto de Enfermagem.
Sandro Luckmann: possui graduação em Teologia e pós-graduação Lato Sensu pela Escola Superior de Teologia. Mestrado em Educação nas Ciências – UNIJUI. Assessor indigenista no Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN) desde 2001, com atuação com as comunidades Kaingang e Guarani na região norte e noroeste do Rio Grande do Sul, nas áreas de organização social, educação escolar indígena, direitos humanos e diálogo intercultural. Membro, como representante da sociedade civil/entidade indigenista, na Comissão de Implementação e Acompanhamento do Programa Permanente de Formação de Acadêmicos Indígenas (CIAPFAI) da Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria/RS). Membro, como representante da sociedade civil/entidade indigenista, na Comissão de Política Indígena da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus de Cerro Largo (Cerro Largo/RS). Membro suplente, representante do COMIN, no Conselho Nacional de Política Indigenista (CNPI – Decreto n.º 8.593, de 17/12/15) – órgão consultivo do Ministério da Justiça (MJ). Portaria de nomeação nº 491/MJ, de 27/04/16.
Liderança Indígena Laklãnõ Xokleng
Mediação: Georgia Carneiro da Fontoura, Coordenadora do Núcleo de Estudos Indígenas da FURB.
Essa atividade está sendo realizada em parceria com o CCHC, Grupo de Pesquisa Ethos, Alteridade e Desenvolvimento – GPEAD/PPGDR, Grupo de Pesquisa Saberes em Si – PPGE, PET-Saúde GraduaSUS, PROESDE/Licenciatura, Núcleo de Estudos Indígenas – NEI/FURB e Conselho de Missão entre os Povos Indígenas – COMIN/Leste Catarinense.
Evento aberto a comunidade. Entrada gratuita.
Para Servidores (técnicos e docentes) FURB, inscrições disponíveis em www.furb.br/formacao
*Docentes FURB e outras instituições que quiserem agendar turmas favor enviar e-mail para universidadeabertafurb@gmail.com
Número de participantes sujeito a capacidade do auditório.

Data: 18/05
Horário: 19h
Local: Câmpus 1 – Auditório Biblioteca – Prof. Padre Orlando Maria Murphy – Mapa
Informações: Divisão de Cultura | PROPEX | (47)3321-0399 | cultura@furb.br

Deixe uma resposta