PT | ES

Grupos de Trabalhos

Líderes e membros de movimentos sociais e de populações indígenas, professores e profissionais da educação básica, pesquisadores, docentes e acadêmicos da educação superior, entre outros, têm a possibilidade de comunicar seus trabalhos, experiências e/ou práticas pedagógicas no evento. Para isso, poderão submeter trabalhos aos Grupos de Trabalhos (GT), observando as normas para sua submissão.

Os trabalhos deverão ser endereçados a um dos seguintes GTs:

GT 1 – Racismo Epistêmico, Poder e Processos de Des-re-territorialização
Este GT acolhe trabalhos que problematizem a presença histórica do “racismo epistêmico” nas sociedades latino-americanas e caribenhas, enquanto mecanismo atuante na construção/manutenção da colonialidade do poder, do saber e do ser e, consequentemente, causador de processos desterritorializadores do Outro, de seus saberes, culturas e identidades.

GT 2 – Processos Decoloniais em Territórios Indígenas
Este GT recebe contribuições que identifiquem e analisem processos decoloniais situados em territórios indígenas da América Latina e Caribe. Objetiva visibilizar as lutas empreendidas contra a colonialidade das pessoas, das práticas sociais, epistêmicas, políticas, culturais, educacionais e religiosas das populações indígenas.

GT 3 – Processos Decoloniais em Territórios Afro-americanos e caribenhos
Neste GT podem ser comunicados estudos e experiências decorrentes de iniciativas ou ideias decoloniais em favor de sujeitos/grupos sociais descendentes da diáspora africana. Intenta-se evidenciar as lutas em prol da autoafirmação e do reconhecimento social, político, epistêmico, cultural, educacional e religioso dos afro-americanos e afro-caribenhos.

GT 4 – Povos/Comunidades Tradicionais e Conflitos pela Terra/Território
Este GT admite trabalhos que: a) descrevam e analisem os conflitos e disputas em torno da terra/território de diferentes comunidades tradicionais que, frequentemente, são vítimas de injustiça e violências decorrentes de diversos agentes e/ou projetos de ‘desenvolvimento’; b) evidenciam a relação das comunidades tradicionais com a terra, natureza e sociedade.

GT 5 – Decolonização religiosa e Formação de Professores de Ensino Religioso
Este GT busca problematizar, discutir e socializar referenciais, políticas e experiências relacionadas à formação inicial e continuada de professores de Ensino Religioso desde uma perspectiva decolonial, não confessional e intercultural.

GT 6 - Bem Viver e Alternativas ao Desenvolvimento
Este GT recebe contribuições que, identificadas com o paradigma do Bem Viver, discorram ou proponham alternativas que superem o caráter economicista e colonial de desenvolvimento em territórios latino-americanos e caribenhos.

GT 7- Diversidade Cultural e Episte(me)todologias decoloniais
O GT objetiva oportunizar o debate de estudos, pesquisas e práticas que, à luz de episte(me)todologias decoloniais, buscam fomentar relações e interações de reconhecimento da diversidade de identidades culturais. Quer contribuir no questionamento de concepções epistemológicas e metodológicas que sustentam a colonialidade e a monoculturalidade, com vistas à superação de processos que produzem exclusões e desigualdades.

GT 8 - Planejamento Territorial e Sustentabilidade
O GT tem por objetivo oportunizar espaços para debates de diversas contribuições teórico-metodológicas relacionadas com o planejamento de territórios sustentáveis. Em particular, pretende acolher estudos e pesquisas resultantes de análises da realidade regional, tendo em vista a compreensão da diversidade histórico-cultural dos territórios, os impactos socioambientais do desenvolvimento, as políticas públicas e as relações de poder que incidem no planejamento urbano e regional.

GT 9 - Bem Viver, Saberes Diversos e Epistemologias Interculturais
O GT tem por objetivo discutir perspectivas teórico-metodológicas que, desde o Bem Viver e da Interculturalidade, procuram fomentar o exercício do diálogo, o reconhecimento dos saberes diversos e a prática da reaprendizagem cultural, no sentido de melhor conviver com os diferentes e suas diferenças.

GT 10 – Interculturalidade, Saberes Diversos e Práticas Educativas
Este GT visa oportunizar debates e intercâmbios de saberes, experiências e práticas educativas interculturais. Buscam-se trabalhos das diversas áreas do conhecimento que contribuem para superação da colonialidade e monoculturalidade dos processos educativos nos territórios latino-americanos e caribenhos.

GT 11 - Diversidade Religiosa e Ensino Religioso Intercultural na Escola
O GT objetiva acolher estudos e pesquisas relacionados à oferta do Ensino Religioso não confessional, enquanto área de conhecimento responsável pelo estudo e valorização da diversidade religiosa nos processos educacionais, com vistas ao reconhecimento das culturas, tradições e valores religiosos e ao enfrentamento de preconceitos, discriminações, intolerâncias e violências religiosas.

GT 12 – Direitos Humanos, Gênero e Educação Intercultural
O GT visa oportunizar debates e intercâmbios de saberes e experiências relacionadas com as temáticas de gênero, direitos humanos e educação intercultural, no intuito de contribuir para afirmação da igualdade na diferença no contexto social e escolar, em suas várias dimensões.

GT 13 – Patrimônios Culturais e alternativas ao Desenvolvimento
Neste GT são acolhidos trabalhos e experiências dedicadas a análise dos processos de construção social dos patrimônios, memórias e dinâmicas socioculturais, desde uma perspectiva crítica com relação à patrimonialização (neo)colonial capitalista e desenvolvimentista da diversidade cultural na contemporaneidade.

GT 14: Movimentos Sociais, Mulheres indígenas e Camponesas: saberes e direitos humanos
Este GT procura evidenciar a atuação dos movimentos sociais e as lutas das mulheres indígenas e camponesas na perspectiva da construção de saberes decoloniais e de direitos humanos em seus respectivos contextos sociais. Acolhe pesquisas, análises e estudos que compartilham possibilidades de enfrentamento de processos e práticas negadores de direitos, evidenciando experiências que vêm sendo realizadas tanto pela academia quanto pela própria sociedade.

GT 15 – Educação Integral, Saberes Discentes/Docentes e Participação Cidadã
O GT se constitui em um espaço de diálogo e reflexão sobre educação integral, entendida como um direito individual e coletivo fundamental para a construção da cidadania democrática e inclusiva. Acolhe trabalhos sobre experiências educativas dedicadas em garantir o desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens em sua integralidade, por meio de múltiplas oportunidades de aprendizagem e da valorização dos saberes e culturas dos seus discentes e docentes.

GT 16 - Espiritualidades e Processos Sócio-religiosos Contemporâneos
O GT acolhe trabalhos que refletem sobre as diversas formas de relacionar-se com o sagrado na contemporaneidade, especificamente, sobre os processos de: subjetivação religiosa; trânsito e dupla pertença religiosa; midiatização e mercantilização do fenômeno religioso; surgimento de novas correntes espirituais, perpetuação da colonialidade, violência e intolerância religiosa nas sociedades latino-americanas e caribenhas.

GT 17 – Transformações Culturais e Desafios às Religiões e Teologias
Este GT quer ser um espaço de debates sobre os impactos das transformações culturais e da globalização às religiões e suas teologias, em suas mais diversas formas. Acolhe trabalhos que tratem criticamente sobre o fenômeno da secularização, do crescente aumento de alternativas religiosas, da fragmentação do campo religioso e da flexibilização das doutrinas e teologias.

GT 18 - Movimentos Migratórios, Direitos Humanos e processos de (des)(re)territorialização sócio-religiosos
O GT está aberto a estudos, reflexões e propostas de ações sobre as inter-relações entre globalização e movimentos migratórios na contemporaneidade, bem como sobre mecanismos de exclusão social e privação dos direitos humanos do migrante. Também se dedica à análise dos processos de (des)(re)territorialização sócio-religiosos a que os migrantes são submetidos em seus novos contextos, em razão de suas diferenças fenotípicas, culturais, epistêmicas, econômicas e religiosas.